"> Nota de Esclarecimento do empresário Antonio Carlos Diniz da Silva (popular Carlinho) - Blog Neto Pimentel

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Nota de Esclarecimento do empresário Antonio Carlos Diniz da Silva (popular Carlinho)

Empresário Carlinhos


O empresário Carlinho, envolvido em confusão na noite da última quinta-feira 14/12, com um ex-prefeito de Tutóia e proprietário de uma clínica no município, esclarece a todos que sofreu abuso de autoridade por parte dos policiais que estavam na ação. 

Segundo o empresário, o médico teria batido em seu carro ao da uma ré nas imediações do povoado Lagoinha, porém, na ocasião, não sabia quem era o proprietário do referido veículo, saindo em perseguição ao mesmo, até chegar em frente ao Hospital Lucas Veras, onde o carro parou e o proprietário saiu, neste momento, ao conhecer o médico, seguiu viagem, quando foi cercado pela polícia, e um dos policiais lhe agrediu com vários chutes, algemando-o e conduzindo-o para delegacia. 

Ao chegar na DP, o mesmo policial continuou a agressão, quando Carlinhos diz “Você não pode me agredir, eu já estou imobilizado”, e o policial retrucou com palavras de baixo calão “cala a boca miserável! Vagabundo!!!”, e um segundo policial dando continuidade a agressão, deferiu tapas no rosto do empresário, que disse “eu vou denunciar vocês, vocês não podem me bater”, e o policial respondeu “Cala a boca, senão eu vou quebrar tua cara de porrada”. 

Carlinho alega, que em nenhum momento teve chance de explicar o ocorrido, e em decorrência de comentários maldosos em relação a sua índole, vem a público esclarecer o que de fato aconteceu. O empresário encontra-se em sua residência, após ficar 4 dias detido na Unidade Prisional, os advogados afirmam que o empresário sofreu abuso de autoridade e agressão desnecessária, e uma ação será movida contra os policiais que efetuaram a prisão, seguido de uma representação. 

Antonio Carlos Diniz da Silva, formado em química pela Universidade Estadual do Piauí, foi professor e gestor da Rede Pública Municipal de Ensino, atualmente é proprietário de um estabelecimento comercial no bairro Paxicá.  

 
Cópia da decisão judicial que libertou Carlinho

2 comentários: